Ultimas observações


O que é isso?

Aqui apresentamos as últimas observações originais. Sempre há fotos emocionantes e observações surpreendentes. Muitas vezes não fica totalmente claro de que animal ou planta se trata. Então tentamos, muitas vezes com a ajuda de especialistas e com o auxílio de literatura especializada, descobrir a espécie ou, pelo menos, a ordem ou a família. Se isso for bem-sucedido, as fotos são editadas (tamanho, corte) e publicadas nos catálogos relevantes (fauna, flora).


14.03.24

Foto Heiko Brunken


Coruja-buraqueira 

Athene cunicularia

 

Data: 04.02.24

Local: -8.099577, -35.198006 (área verde oeste)

Autor: Glícia Calazans Brunken 

 

 

"Popularmente conhecida como coruja-buraqueira, a Athene cunicularia é uma ave de rapina de pequeno porte, que habita desde o território do Canadá (América do Norte) até a Terra do Fogo (extremo sul da América do Sul). São encontradas por todo o Brasil, a exceção da bacia Amazônica. Esta coruja tem o nome de “buraqueira” porque vive em buracos, ou tocas, abandonados por outros animais, como tatus. Se necessário, ela mesmo cava um buraco, mas prefere se apossar de buracos abandonados."
Fonte: infoescola.com


 

Callithrix jacchus 

Sagui

 

Data: 18.02.2024

Local: lote 45

Autor: Camyla Lyra

 

 

"Primeira vez que apareceu, na cerca da matinha.".

 

Leia mais: 

https://www.gov.br/iec/pt-br/centro-nacional-de-primatas/assuntos/guia-de-especies/sagui-do-tufo-branco-white-tufted-ear-marmoset-ing

 

No livro: ZOOLOGIA: DIVULGANDO O CONHECIMENTO CIENTÍFICO

 


Planiplax cf. phoenicura. Açude leste. 02.02.24. Foto: Heiko Brunken.
Planiplax cf. phoenicura. Açude leste. 02.02.24. Foto: Heiko Brunken.

Família Geoplanidae, espécie indeterminada 

 

Data: 11.01.2024

Local: lote 80

Autor: Heiko Brunken

 

Comprimento do animal de aproximadamente 8 cm.

 

Os platelmintos terrestres (Geoplanidae) formam um grupo diversificado e ecologicamente importante de mais de 800 espécies de vermes achatados de vida livre (não parasitas) e que possuem parentesco com as planárias de água doce. Costumam ser confundidos com lesmas, mas na realidade não possuem parentesco com esses moluscos. Esses animais são encontrados principalmente em solos húmidos e seu tamanho varia entre menos de um centímetro e os 60 centímetros de comprimento da espécie Bipalium kewense. São predadores eficientes e seu cardápio pode incluir minhocas, caracois e lesmas, insetos e outros animais pequeninos. Eles caçam envolvendo a presa em seu muco e imobilizando-a. A boca fica na parte ventral do corpo do animal. Fonte: Wikipédia

 


cobra verde, espécie indeterminada 

 

Data: 06.01.2024

Local: lote 67

Autor: Graça Vasconcelos

 

Parece uma cobra-verde Erythrolamprus viridis, mas o espécime fotografado é obviamente muito maior do que 38 cm. Confira: Portal de Zoologia: "E. viridis é uma pequena especie de serpente Dipsadidae de hábitos terrestres. Pode medir até 38 centimetros. Ocorre em ambientes de floresta ombrófila da Mata Atlântica e em regiões de transição com o Agreste. Se alimenta de pequenos anfíbios e lagartos. Seu nome popular é cobra-verde e pode ser facilmente confundida com outras espécies de serpente que possuem a mesma coloração e hábitos." Mas segundo Silveira et al. (2019): "Até 535 mm".

 

Atenção! Pode ser também: Cobra Verde Philodryas olfersii. "Serpente que, apesar de pertencer ao grupo das não peçonhentas, pode causar acidentes sérios. A cobra-verde é opistóglifa, ou seja, possui um dente inoculador a cada lado do maxilar superior, no fundo da boca. Ela possui uma saliva tóxica, por isso deve-se tomar cuidado com possíveis acidentes. Vive camuflada entre folhagens verdes, em função de seu colorido, pode subir nas árvores, e foge do homem, mas pode morder se capturada com a mão o pisada. Alcança até 1,40m e costuma se alimentar de pequenos mamíferos, aves, lagartos e anfíbios." Fonte: www.vitalbrazil.rj.gov.br/


Cobra-cipó 

Chironius flavolineatus

 

Data: janeiro 2024

Local: lote 67

Autor: Graça Vasconcelos

 

"Serpente não-peçonhenta de hábitos semi-arborícolas. Seu nome vulgar vem de sua coloração, pois se camufla nas árvores, confundindo-se com o ambiente. Ovípara, habita matas e capoeiras. Alimenta-se preferencialmente de anfíbios, possuindo hábitos diurnos. Pode alcançar pouco mais de um metro de comprimento." Fonte: www.vitalbrazil.rj.gov.br

 

"A característica distintiva da Chironius flavolineatus é uma faixa vertebral amarela ou branco-creme que se estende por quase todo o comprimento do corpo da serpente. Em ambos os lados da faixa, os lados pretos que começam após a primeira fileira de escamas ficam anteriormente. A parte de trás da cabeça da C. flavolineatus varia de cor de bronze a marrom e é distinta do terço superior do corpo, que é preto ou cinza escuro. O C. flavolineatus também apresenta de 0 a 4 fileiras de escamas dorsais quilhadas no meio do corpo e um padrão de cor estático ao longo de sua vida. Estudos indicam que o C. flavolineatus é sexualmente dimórfico. As fêmeas adultas tendem a ser maiores do que os machos, com peso médio em torno de 81 g e comprimento total aproximado de cerca de 1,16 m. Os machos adultos pesam aproximadamente 60 g e atingem um comprimento total de cerca de 1,10 m." Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Chironius_flavolineatus


Rã, Perereca

uma espécie (não identificada) de anfíbio da família Hylidae

 

Data: 19.12.23

Local: ?

Autor: Inaldo 

 

Hilídeos (Hylidae) é uma família de anfíbios da ordem Anura, cujas espécies são encontradas em todos os continentes, com a exceção da Antártida. São popularmente conhecidas como pererecas, relas ou rainetas. Geralmente vivem em árvores, porém algumas espécies habitam lagoas, como as do gênero Pseudis, e outras podem viver em áreas urbanizadas, como as do gênero Scinax.

 

São características de suas espécies a presença de discos adesivos na ponta dos dedos e a pupila horizontal. Apresentam diversos modos reprodutivos, com todos eles envolvendo metamorfose completa com fase larval aquática, mais conhecida como girino.

 

Seu nome popular "perereca" origina-se do gerúndio do termo tupi pere'reg, "ir aos saltos", enquanto "rela" origina-se do latim ranella, o diminutivo de rana ("rã"). Já "raineta" origina-se do francês rainette, "rã pequena e arborícola".

Fonte: https://pt.wikipedia.org


Gafanhoto-Soldadinho  (Tucura)

Tropidacris collaris

 

Data: 17.12.23

Local: ?

Autor: Rafael 

 

Tropidacris collaris apresenta grande tamanho, com comprimento variando de 50 mm a 70 mm para o macho e 85 mm a 105 mm para a fêmea. 

 

Trata-se de uma espécie de importância econômica, principalmente porque causa danos à abacateiro, algodoeiro, bananeira, coqueiro, eucalipto, mangueira,  limoeiro, mandioca, seringueira, videira e, às vezes, à cana-de-açúcar e arroz.

 

Muito abundante, não é migratório e não forma as grandes nuvens.

 

Danos: Apresenta apetite voraz, podendo devastar pomares, hortos, culturas anuais e pastagens. Tanto adultos como as ninfas promovem desfolhamento das plantas.

 

Fonte: https://www.agrolink.com.br/


Coruja-buraqueira 

Athene cunicularia

 

Data: 19.11.23

Local: lote 18 (?)

Autor: Maria Flávia Andrade de Lima 

 

A coruja-buraqueira é uma ave da ordem Strigiformes da família Strigidae. Com o nome científico cunicularia (“pequeno mineiro”), recebe esse nome por cavar buracos no solo. Vive cerca de 9 anos em habitat selvagem. Costuma viver em campos, pastos, restingas, desertos, planícies, praias e aeroportos.

Fonte e leia mais: WIKIAVES

 

 


Uma minúscula Rã  

espécie não identificada

 

Data: 17.11.23

Local: lote 73

Autor: Maria Flávia Andrade de Lima 

 

 

Atualmente Estado de Pernambuco apresenta 87 espécies de Anfíbios e 126 de “Répteis”. Dente os Anfíbios, 85 correspondem aos Anuros e 2 espécies de Gymnophiona. Em relação aos “Répteis”, 8 correspondem aos Testudines, 40 Lagartos, 9 Anfisbaenas, 67 Serpentes e 2 Jacarés.

Fonte: LEHP UFRPE

 


Cobra não identificada

pode ser Cobra-corre-campo (Corredeira) 
Philodryas nattereri (!???)

 

Data: 05.11.23

Local: ... [perto da matinha?]

Autor: Waldinez Vasconcelos

 

Philodryas nattereri é o nome científico da serpente também designada popularmente como Cobra-corre-campo, corre-campo, cobra-do-mato, corredeira e ubiraquá, ocorrendo amplamente pelo nordeste e centro-oeste brasileiro e também no Paraguai. É uma serpente opistóglifa, podendo atingir um comprimento de 160 cm, corpo amarelo-bronzeado com quatro linhas laterais escuras e escamas que apresentam uma borda negra.

Peçonha: 

P. nattereri possui uma peçonha que será inoculada através de sua dentição opistóglifa e possui grandes efeitos no corpo do ser humano muito semelhantes aos efeitos da Bothrops jararaca, tendo ações proteolíticas, inflamatória aguda, hemorrágicas e coagulantes, neurotóxica, miotóxica, nefrotóxica e cardiovascular. Por não possuir um soro específico a esta peçonha, por vezes os acidentes são tratados com anti-botrópico. Fonte: Wikipédia.

Veja mais no biofaceshttps://www.biofaces.com/specie/999/philodryas-nattereri/

Video: Acidente com Cobra Corredeira, Corre campo philodryas nattereri | Biólogo Henrique


Pachylis laticornis, família Coreidae

 

Data: 10.10.23

Local: ?

Autor: Inaldo

 

"Obra de arte" 

 

Veja mais: https://www.biofaces.com/

 

Coreidae é uma família de percevejos sugadores de plantas da subordem Heteroptera dos Hemiptera. O nome Coreidae deriva do género Coreus (do grego: κόρις, percevejo). A família tem uma distribuição natural do tipo cosmopolita, mas a maioria das espécies ocorre em regiões de clima tropical ou subtropical. Fonte: Wikipédia.


Louva-a-Deus

espécie não identificada; difícil identificar!
pode ser Stagmatoptera femoralis (???)

 

Data: 09.10.23

Local: ?

Autor: Paulo Araujo

 

Cada espécie do gênero possui uma mancha diferente, por isso se torna um pouco mais fácil de identificar. Fêmea, observe a tégmina bem preenchida de cor, e com aspecto de folha, ajudando na camuflagem, já que fêmeas não possuem muita habilidade em voar devido a seu peso. Os machos apresentam uma transparência na tégmina normalmente e são mais esguios o que facilita o voo. Uma forma fácil de reconhecer o sexo é observar o número de ventritos (segmentos na parte ventral do abdome), fêmeas apresentam 6, um tanto largos, enquanto machos apresentam 8, mais estreitos em comparação às fêmeas. Os machos normalmente são menores que as fêmeas. Podem apresentar uma variação de verde a amarelo, conseguem modificar a cor ao longo da vida para se camuflarem melhor no ambiente, dependendo da planta em que estiverem, podendo apresentar tons diferentes de verde e amarelo, como o caso dessa na foto. Os recém nascidos são normalmente de cor marrom, e modificam a mesma durante os processos de ecdise. Fonte: Portal de Zoologia de Pernambuco 


Raposa ou Cachorro do Mato

Cerdocyon thous

 

 

Data: 20.09.23

Local: perto da matinha ?

Autor: Daniel Dias

 

 A raposa possui uma coloração variável, exibindo uma pelagem predominantemente marrom-acinzentada, com áreas vermelhas no rosto e nas pernas, e orelhas e cauda de ponta preta. Possui pernas curtas e fortes e sua cauda é longa e espessa. Pode atingir um peso adulto de 4,5 a 7,7 quilos. O comprimento médio da cabeça e do corpo é de 64,3 centímetros e o comprimento médio da cauda é de 28,5 centímetros.

 

Em diversos biomas os indivíduos da espécie Cerdocyon thous, possuem uma atividade bastante importante para o ambiente, como a dispersão de sementes de plantas nativas, especialmente na Caatinga. Dessa forma, contribuem para a manutenção da flora da região e também a recuperação de áreas afetadas. Fonte / leia mais: https://www.biodiversity4all.org


Borboleta de gênero Melanis

espécie não identificada, pode ser Melanis smithiae

 

Data: 09.09.23

Local: 53

Autor: Aldenor Tenório

 

Melanis é um gênero da família de borboletas Riodinidae presente no reino neotropical. Riodinidae é a família das borboletas metalmarks [em inglês]. O nome comum "metalmarks" refere-se às pequenas manchas de aparência metálica comumente encontradas em suas asas. As 1.532 espécies estão distribuídas em 146 gêneros. Embora sua distribuição seja predominantemente neotropical, a família também está representada nos reinos Neártico, Paleártico, Australásico, Afrotropical e Indomalayan. Fonte: Wikipédia, div.

 


 

 Jiboia

Boa constrictor

 

Data: 20.09.23

Local: numa trilha

Autor: Ivana Suzane

 

O animal foi encontrado morto.

 

"Pelo estado que ela se encontra, me pareceu que ela foi atacada por algum bicho. Porque ela tá sem a cabeça." Ivana

 

 

 


Mariposa

espécie não identificada, gênero Oxytenis, Família Saturniidae

 

Data: 17.09.23

Local: 157

Autor: Marcos A. Silva

 


Feigeria buteo

espécie não identificada

 

Data: 17.09.23

Local: ?

Autor: Ivaldo Vasconcelos

 

 


Diplópode

Eucampesmella spec.

 

Data: 18.08.2023

Local: lote 77

Autor: Flavinha Motta

 

Classificação

Reino: Animalia; Filo: Artrópodes; Subfilo: Myriápode; Classe: Diplopoda; Ordem Polydesmida; Família: Chelodesmidae

 

Os membros da ordem Polydesmida também são conhecidos como "diplopodes de costas chatas", porque na maioria das espécies, cada segmento do corpo possui quilhas laterais largas conhecidas como paranota. Essas quilhas são produzidas pela metade posterior (metazonita) de cada anel do corpo atrás do collum. Os polidesmídeos não têm olhos e variam em comprimento de 3 to 130 mm. Muitas das espécies maiores mostram padrões de coloração brilhantes que alertam os predadores de suas secreções tóxicas. Fonte: Wikipédia


Aranha caranguejeira

Espécie indeterminada, provavelmente do genero Lasiodora

 

"Tomando sol"

 

Data: 16.08.2023

Local: lote 88

Autor: Inaldo Melo

 

"Lasiodora é um gênero de aranhas que só ocorre na America Latina. São conhecidas 39 espécies, sendo 25 espécies endêmicas do Brasil. Apesar de seu tamanho e aparência assustadora, as aranhas da família Theraphosidae não são prejudiciais aos humanos. Alimentam-se de insetos e pequenos vertebrados. No Nordeste caranguejeiras são potenciais predadoras de lagartos e até de morcego."

Fonte: Portal de Zoologia de Pernambuco


Besouro (Ordem Coleoptera, coleópteros), espécie indeterminada

 

"Besouro enorme"

 

Data: 17.11.23

Local: lote 72

Autor: Maria Flávia Andrade de Lima

 

Leia mais sobre os besouros (Coleoptera):

"A ordem de animais mais diversa do planeta são os coleópteros, que corresponde a aproximadamente 30 % dos animais e 40 % dos insetos. (...)"
Texto elaborado por Josival Araújo, colaborador do Portal de Zoologia de Pernambuco.
Fonte: https://www.portal.zoo.bio.br/cat122

 

 


 

Jiboia

Boa constrictor

 

Data: 13.08.23

Local: lote 72

Autor: Maria Flávia Andrade de Lima

 

"A jiboia é uma espécie de serpente neotropical da família Boidae com grande distribuição geográfica, ocorrendo desde o Norte do México até a Argentina. Atualmente Boa constrictor é considerado um grupo diverso de sub-espécies o qual apresenta significativa variação genética intra-específica. É uma espécie robusta não peçonhenta que pode chegar a medir mais de 3 metros de comprimento. Se alimenta de pequenos mamíferos, aves e lagartos, matando suas presas por constrição. Apresenta dimorfismo sexual, As fêmeas são geralmente maiores e mais robustas que os machos. Tal diferença se deve provavelmente ao fato que a jiboia é uma espécie vivípara, apresentando um período de gestação relativamente longo e as crias numerosas nascem já bem desenvolvidas."
Fonte: Portal de Zoologia de Pernambuco 

O animal foi capturado e cuidadosamente solto na natureza.
O animal foi capturado e cuidadosamente solto na natureza.

Besouro ou outro inseto, espécie não identificada

 

"Besourinho bem bonitinho!"

 

Data: 11.08.23

Local: lote 95

Autor: Rosa Bacelar

 

Leia mais: Características gerais dos insetos

https://escolakids.uol.com.br/ciencias/insetos.htm

 


Cigarra, espécie não identificada

 

Data: 17.04.21

Local: lote 73

Autor: Flavia Andrade

 

As cigarras (Hemiptera: Cicadoidea) são geralmente grandes insetos voadores e reconhecidos pelo som que os machos emitem na época reprodutiva. No Brasil são conhecidas atualmente 152 espécies de cigarras. Possuem um ciclo de vida complexo. As ninfas de algumas espécies podem ficar enterradas no solo por longos anos antes de sofrer metamorfose para a fase adulta, quando saem do solo para se reproduzir.

Fonte: Portal de Zoologia de Pernambuco


Raposa ou Cachorro do Mato

Cerdocyon thous

 

Data: 12.03.22

Local: ?

Autor: Maria Flávia Andrade de Lima

 

"Cruzei com ela na matinha hoje pela manhã. Me onservada de longe ..., depois correu. Está totalmente familiarizada." Danielle, 03.12.23

 

 


Abelha, espécie não identificada

 

Data: março 2022

Local: lote 154

Autor: Guilherme José de Vasconcelos

 

Abelha em uma orquídea

 


Grilo, espécie não identificada

 

Data: 24.06.22

Local: lote 80

Autor: Heiko Brunken

 

 


Lagarta, espécie não identificada

 

Data: 11.05.22

Local: lote 80

Autor: Adriano

 

Embora pareçam inofensivas, as lonomias, mais conhecidas como taturanas, provocam graves queimaduras!


Mariposa do gênero Rotschildia

espécie não identificada, mas possivelmente R. hesperus (identificado por Simão Vasconcelos)

 

Data: 28.06.22

Local: 67

Autor: Graça Vasconcelos